1960

Na década de 60, Wesley começou a explorar em suas obras uma mitologia própria, muito pessoal, protagonizada por um Alter Ego do artista, o templário Arkadin. No mesmo período, que foi um dos mais agitados na história do artista, fundou o Movimento do Realismo Mágico e criou um de seus trabalhos mais controversos: a Série das Ligas (1962) Em 61 teve sua primeira exposição individual na Galeria Sistina de São Paulo, também recebeu uma menção no Oscar de la Publicité Française, pelo trabalho publicitário que realizou para a Renault. Dois anos depois, em 63, realiza sua primeira exposição individual na Europa, na Galeria Sistina de Milão. Em agosto do mesmo ano funda o Movimento do Realismo Mágico junto com o crítico Pedro Manoel Dismondi, a pintora Maria Cecília Gismondi, o fotógrafo Otto Stupakoff e o escritor Carlos Felipe Saldanha em São Paulo. Ainda em 63, Wesley provoca em São Paulo o primeiro Happening do Brasil ao expor a Série das Ligas, barrada em museus e galerias, no João Sebastião Bar: com as luzes do bar todas apagadas, as pessoas apreciavam as obras com a ajuda de lanternas.

Em 64, Wesley participa de diversas exposições individuais como na Petite Galerie, no Rio de Janeiro, na Galerie Nebehay, em Viena e exposições coletivas também, como a da Galeria Sta. Maria di Piazza. No mesmo ano é admitido no Grupo Phases, em Paris, que realizou sua primeira exposição no Museu de Arte Contemporânea, em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Em 65 permanece 6 meses no Japão, aonde participa da 8º Bienal de Tóquio e recebe o prêmio International Art Promotion Award. No mesmo ano participa da famigerada Opinião 65, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, exposição que foi decisória na guinada do rumo das artes plásticas brasileiras a partir dali, trazendo a inspiração Nova Figuração para o Brasil. Também em 65 participa de um episódio da série The Creative Person, da emissora americana National Educational Television.

Já em 66, inicia junto com Nelson Leirner, Geraldo Barros, Frederido Nasser, Carlos Fajardo e José Rezende a Rex Gallery em São Paulo, um espaço cultural diferente, uma galeria de vanguarda que reagia aos sistemas vigentes da época. No mesmo período participou de diversas exposições em museus e galerias internacionais como a exposição Emergent Decade no Guggenheim (Nova Iorque) e a 33º Bienal de Veneza.

Em 67, depois de um ano de atividades, acontece o Fechamento da Rex Gallery, com exposição de Nelson Leirner e um Happening: O Grupo Rex cria diversos obstáculos, acorrenta obras às paredes da galeria, inunda salas com água e oferece as obras de graça para quem conseguir levá-las. O público, armados com ferramentas pesadas e até acetileno, depredam a galeria e a exposição termina em 8 minutos. No fim da década, 1969, apresenta O Helicóptero no Museu de Arte Moderna em Tóquio.