1990

Em 90, é convidado por Casimiro Xavier de Mendonça para fazer parte da representação brasileira na 44° Bienal de Veneza, Wesley então projeta a Fortaleza de Arkadin, uma instalação composta por grandes toras de madeira e xerox, em forma de vulva. Nessa obra Wesley volta a explorar àquela mitologia do começo dos anos 60, mas dessa vez, ao invés de desenhos e gravuras, expressa esse universo através de meios construtivos e materiais primitivos. Em 91, realiza o Museu Imaginário do descobrimento da arte da pintura no Brasil em quatro séculos, ou a história de arte nos painéis do Metrô, projeto para o Arte no Metrô em que constrói um painel para a estaçãoo Trianon-Masp. Esse painel é composto por 123 obras da história da arte do Brasil. Feito em scannaprint, esse museu imaginário tem como intenção levar um pouco da visão do museus para as pessoas, a fim de levá-las as salas de exposições. No mesmo ano expõe a série Os Trabalhos de Eros na Kate Art Gallery, em São Paulo, e um ano depois, em 1992, Realiza uma exposição individual: sua Retrospectiva no MASP.

Em 1999, seguindo a linha conceitual de Os Trabalhos de Eros, apresentada pelo artista como a introdução à era do filho, Wesley expõe a primeira parte da série O Filiarcado- Ensaio Alquímico, Albedo. A série é composta por 29 obras que foram concebidas por Wesley depois de alinhar diversos conceitos, desde pinturas rupestres na Caverna de Chauvet, na França, até gravuras de jogos infantís, reproduzidas por Jacques Stella (publicadas em 1657).